?Pílula do dia seguinte: como funciona e quais são os riscos?

Hoje nós vamos falar sobre um assunto consideravelmente polêmico entre as meninas do Brasil, aquela que é conhecida como a Pílula do Dia Seguinte. Este é um contraceptivo que só deve ser usado em casos emergência,  e apenas para o caso de ter acontecido o pior e você ter transado sem camisinha! Já adiantamos que ela deve ser usada em casos mais extremos e com muito cuidado, pois ela causa um verdadeiro desequilíbrio hormonal. E já podemos te dizer também que ela não pode ser usada mais de uma vez no mesmo mês, pois ela compromete o efeito dos anticoncepcionais comuns. Vamos entender sobre este assunto que é tão interessante?

O que é e o que faz a Pílula do dia seguinte?

O nome já é bastante sugestivo, não é mesmo? Mas o nome técnico dela é Levonorgestrel, e ela é conhecida como a Pílula do dia seguinte. Ela nada mais é do que uma combinação de hormônios que não permite a ovulação, e evita desta forma a possível fertilização do óvulo. E no caso de a ovulação já ter acontecido,  a pílula do dia seguinte também não permite que o espermatozoide encontre o óvulo, hostilizando o ambiente, e matando o esperma. E além disso tudo, se o óvulo tiver sido fertilizado, ela não deixa que ele se aloje no endométrio, impedindo uma gravidez.

Poderosa né? Mas apesar de ser muito eficiente, ela é realmente perigosa para o corpo das mulheres. Apenas pelo fato de que a mulher fica sujeita a uma variante muito grande de desequilíbrio hormonal, e com o uso frequente dela, os desiquilíbrios ficam cada vez mais intensos.

Como devo tomar a pílula do dia seguinte?

Como dito logo acima, este procedimento é indicado apenas para exceções. Ela deverá ser tomada até 72 horas após o ato sexual desprotegido, ou ainda quando você sabe que o anticoncepcional falhou (como exemplo a camisinha ter furado, ou ainda esquecer de tomar o anticoncepcional). E existem alguns modelos de pílulas do dia seguinte que exigem que você repita a dose depois de 24 horas da primeira.

Os médicos orientam também que não se se deve continuar o anticoncepcional comum depois de tomar a pílula do dia seguinte, pelo menos até o próximo mês. E se você tomar doses repetidas da pílula do dia seguinte, elas podem anular uma o efeito da outra. Sério não é?

E você pode ter sentir alguns efeitos colaterais como náuseas e vômitos e é bem provável que a sua menstruação atrase no mês seguinte.  Além dos sintomas especificados acima, existe a possibilidade real você sentir sensibilidade nos seios e dor abdominal, além muita tontura e fadiga. Existe uma outra contra para mulheres que convivem com problemas hepáticos, não recomendamos que vocês usem a  pílula do dia seguinte pois ela cria uma grande atividade nos rins para filtrar o excesso dos hormônios que são injetados no corpo.  Muito além disso, as mulheres que tem um IMC maior de 30 têm eficácia menor neste tipo de contraceptivo de emergência.

As mulheres mudaram o mundo!

Mesmo que muito sofrida e ainda que seja realmente difícil ser mulher, o mundo melhorou muito depois que as mulheres conquistaram seus direitos! Desde uma simples ação como votar, ou participar de maratonas, até decisões mais sérias como abortar ou cuidar do próprio corpo como bem entenderem. A maior das vantagens é que todos os postos de saúde do Brasil estão habilitados a oferecer a pílula do dia seguinte, sem nenhum tipo de receita ou consulta prévia.

Claro, vale sempre lembrar que camisinha sempre! Não apenas para não ficar grávida, mas para não ter que lidar com doenças sexualmente transmissíveis como a sífilis, gonorreia e HIV.

Gostou do texto? Que tal ver este vídeo e tirar todas as suas dúvidas?

Leave a Reply