?Lipocavitação: o ultrassom em prol da beleza?

A gente sabe que mesmo fazendo dietas e exercícios físicos regularmente, algumas vezes o corpo simplesmente continua acumulando gordura, não é mesmo? Quando esse tipo de situação acontece, não há motivo para se desanimar, pois existe hoje o processo de lipocavitação. Não sabe o que é? Vem com a gente que explicaremos o que é, como funciona, os prós e os contras da lipocavitação.

Como funciona o processo de lipocavitação?

Nesse procedimento é um emissor de ultrassom é utilizado para ajudar a combater as gordurinhas localizadas. A lipocavitação dissolve a gordura e faz com que ela possa ser expelida de forma natural pelo corpo. Enquanto é feita a aplicação, a gordura se agita e acaba por dissolver-se. Isso faz com que parte dela seja eliminada de forma natural pelo fígado e a parte que sobrar, é eliminada pelos rins, junto com a urina.

Ainda que seja uma liberação de gordura natural e não ofereça sérias consequências para o corpo, há momentos em que a lipocavitação não é recomendada, podendo ser até mesmo perigosa, pois pode acumular uma quantidade de gordura no sistema linfático, o que acarreta é prejudicial para os rins. É sempre recomendável realizar um check up antes de se submeter ao tratamento.

Quando a lipocavitação é feita por um profissional sério e competente, pode até mesmo auxiliar no combate à celulite, uma vez que elimina as células de gorduras que estão originando as micro inflamações, que são chamadas de celulite.

Quais os cuidados precisam ser tomados com a lipocavitação?

O mais importante é tomar muito cuidado com a clínica onde será feita a lipocavitação. Procure clínicas com renome ou que alguma conhecida já tenha feito o procedimento, afinal, o equipamento e a forma de aplicação garantem o bom resultado. Há casos em que aparentemente fazem efeito, porém, as moléculas de gordura simplesmente perdem água, não sendo dissolvidas por completo. Outro risco que se corre, caso o equipamento não seja manuseado de forma correta é o de gerar queimaduras externas e internas, visto que o ultrassom usado na lipocavitação cria uma reação parecida com a de um microondas. Vale ressaltar que se for bem aplicada, a lipocavitação é praticamente indolor.

Nesse processo, são liberados os ácidos graxos diretamente no sistema linfático, que então são levados diretamente ao fígado. O fato de não passarem pela corrente sanguíneo e não afetarem o colesterol é muito bom, porém, se a pessoa tiver um problema de gordura no fígado, chamado de esteatose hepática, o processo de lipocavitação não é indicado como boa opção. Se já possuir algum histórico de taxa de colesterol alta, o recomendado é verificar os detalhes com um médico antes de se submeter a este procedimento.

Essas questões relacionadas aos rins podem ser corrigidas se você consumir a quantia diária de água adequada e também mantiver uma dieta balanceada e rica em fibras, o que ajudará o seu corpo a eliminar impurezas e excessos.

O recomendado é que em casa sessão sejam tratadas duas áreas do corpo. Você pode conseguir um resultado mais completo depois de 4 a 8 sessões, dependendo das áreas a ser tratadas.

Lipocavitação e drenagem linfática

Como falamos anteriormente, acaba sendo exigido bastante do sistema linfático durante a lipocavitação. Uma drenagem linfática pode ser uma ótima saída, pois, dessa forma, você estará auxiliando seu corpo na eliminação de ácidos graxos de forma mais apropriada.

Confira o vídeo que separamos para você sobre o assunto:

Leave a Reply